COMPROMETIMENTO DOS PODERES

As políticas de combate às drogas devem ser focadas em três objetivos específicos: preventivo (educação e comportamento); de tratamento e assistência das dependências (saúde pública) e de contenção (policial e judicial). Para aplicar estas políticas, defendemos campanhas educativas, políticas de prevenção, criação de Centros de Tratamento e Assistência da Dependência Química, e a integração dos aparatos de contenção e judiciais. A instalação de Conselhos Municipais de Entorpecentes estruturados em três comissões independentes (prevenção, tratamento e contenção) pode facilitar as unidades federativas na aplicação de políticas defensivas e de contenção ao consumo de tráfico de drogas.

domingo, 17 de outubro de 2010

DROGAS PELA INTERNET - O QUE OS PAIS DEVEM SABER



O QUE OS PAIS DEVEM SABER - Zero Hora, 17/10/2010

Pais de adolescentes e jovens, que costumam passar muito tempo na internet, devem prestar atenção aos filhos para evitar o mau uso do computador. Conforme o psiquiatra e psicanalista Sérgio de Paula Ramos, coordenador da unidade de dependência química do Hospital Mãe de Deus, pais presentes reduzem em até 12 vezes o risco de drogadição na família. Confira algumas dicas:

PROXIMIDADE PATERNA - Um fator fundamental de prevenção ao uso de drogas juvenil é a proximidade da figura paterna que, na ausência do pai real, pode ser exercida por outro adulto. Estudos indicam melhor resultado quando se trata de um homem.

ATENÇÃO AO USO DO COMPUTADOR - Sempre que um jovem dedicar mais tempo e atenção à internet do que a sua vida real, os pais devem entrar em alerta e procurar saber o que há de errado.

EVITAR POSTURA POLICIALESCA - Não adianta estabelecer um excesso de restrições e proibições ao uso do computador. O diálogo deve ser sempre buscado.

CUIDADO PROLONGADO - Alguns pais, quando os filhos chegam à juventude, tendem a repetir para si mesmos que eles já sabem se cuidar e diminuem o monitoramento. É um erro.

– Os adolescentes ainda não têm o cérebro plenamente desenvolvido para se cuidarem sozinhos. Embora deselegante, é um imperativo de saúde dizer que muitos pais estão mais preocupados com seus umbigos do que com os seus filhos. No Brasil, tratamos mal os nossos jovens – afirma Sérgio de Paula Ramos.

Droga pedida via e-mail, pronta-entrega pelo correio. Comunidades em redes sociais, fóruns de discussão e até mesmo sites oficiais, registrados em outros países, popularizam a venda ilegal de drogas na internet e disparam alerta nas autoridades, que procuram alternativas para frear o tráfico online - reportagem de MARCELO GONZATTO, Zero Hora, 17/10/2010 (resumo)

Traficantes estão ampliando a oferta de drogas das bocas de fumo para o interior de qualquer casa com acesso à internet. Por meio de sites de classificados, fóruns de discussão e redes sociais como o Orkut e o MSN, os criminosos assediam possíveis clientes, recebem encomendas e prometem a entrega em prazos de até um dia usando serviços como o Sedex. Como resultado do crescente mercado virtual, investigações e prisões relacionadas a esse tipo de crime se somam em várias regiões do país.(...)

Alguns casos recentes de prisões e inquéritos envolvendo a venda de entorpecentes pela rede:

- Setembro de 2010 – No Rio de Janeiro, um professor universitário de 67 anos e seu filho, um jornalista de 31 anos, são presos por cultivar 108 pés de maconha em seu apartamento de cobertura na zona oeste da capital fluminense. As sementes foram compradas por meio de um site da internet que também está sob investigação. Por cultivar plantas que podem ser usadas como entorpecentes, eles ficaram sujeitos a uma pena de cinco a 15 anos de prisão.

- Maio de 2010 – Um estudante de Direito de 21 anos foi preso por vender LSD e ecstasy com auxílio da internet em Campinas, São Paulo. Depois de combinar a transação pelo computador, ele entregava o produto pessoalmente. Ao vasculharem o computador do rapaz, descobriram indícios de negociações feitas pelo programa de bate-papo MSN. Ele foi detido quando ia entregar a encomenda para um adolescente.

- Março de 2010 – O Denarc gaúcho apreendeu duas doses de uma substância, que se encontrava em posse de uma mulher, por meio de uma denúncia anônima. No mês passado, após uma longa espera pelo laudo técnico, descobriu-se que a substância é uma droga rara chamada DMT. As doses haviam sido encomendadas pela internet. As investigações estão em andamento.

- Setembro de 2009 – Um jovem de 21 anos foi preso pela Polícia Federal, em Ribeirão Preto (SP), por vender ecstasy pela internet e entregar por Sedex. No momento da prisão, ele tentava fazer a remessa de 400 comprimidos da droga para Belo Horizonte (MG), em uma agência dos Correios. A polícia também encontrou mais 4,6 mil comprimidos na casa do rapaz.