COMPROMETIMENTO DOS PODERES

As políticas de combate às drogas devem ser focadas em três objetivos específicos: preventivo (educação e comportamento); de tratamento e assistência das dependências (saúde pública) e de contenção (policial e judicial). Para aplicar estas políticas, defendemos campanhas educativas, políticas de prevenção, criação de Centros de Tratamento e Assistência da Dependência Química, e a integração dos aparatos de contenção e judiciais. A instalação de Conselhos Municipais de Entorpecentes estruturados em três comissões independentes (prevenção, tratamento e contenção) pode facilitar as unidades federativas na aplicação de políticas defensivas e de contenção ao consumo de tráfico de drogas.

quinta-feira, 27 de outubro de 2011

NARCOTRÁFICO - PF DIZ TER DESMANTELADO UMA DAS PRINCIPAIS QUADRILHAS QUE AGIA NO BRASIL

PF diz ter desmantelado uma das principais quadrilhas de narcotraficantes que agia no país - o globo, 27/10/2011 às 16h27m; Leonardo Guandeline.

SÃO PAULO - A Polícia Federal (PF) diz ter desmantelado nesta quinta-feira uma das principais quadrilhas de tráfico de drogas internacionais que agia no país. O grupo era chefiado por dois narcotraficantes de São Paulo. Além deles, 34 pessoas, entre elas um estrangeiro, foram presas nesta quinta-feira em São Paulo, Mato Grosso, Mato Grosso do Sul, Ceará, Pará e Rondônia.

Batizada "Semilla", uma referência à semente em espanhol, como era chamada a cocaína pelos integrantes do grupo, a operação da PF cumpriu, ainda 59 mandados de busca e apreensão em várias cidades do país. Entre o material apreendido estão 15 veículos de luxo, a maioria de propriedade dos dois chefes do bando, uma aeronave e R$ 80 mil, além de armas.

As investigações sobre o bando tiveram início em julho do ano passado. Desde então foram apreendidos 4.327 kg de cocaína e 5.210 kg de maconha, além de uma aeronave e 48 veículos usados no transporte da droga. Até esta quinta-feira, 70 pessoas acusadas de integrar o bando haviam sido presas, entre elas um italiano acusado de ligação com a Sacra Corona Unita, organização criminosa que atua na região de Puglia, no Sul italiano.

De acordo com o delegado Ivo Roberto Costa da Silva, um dos coordenadores da operação e chefe da Delegacia de Repressão a Entorpecentes da PF em São Paulo, o grupo - tido como um dos principais atuantes no Brasil - perdeu força desde o início das investigações e das apreensões.

- Posso garantir que muito pouca coisa passou. Começamos com apreensões de 673 kg de cocaína. Ao fim apreendemos carregamentos de 30 kg. A quadrilha já não tinha o mesmo potencial - garante o delegado, acrescentando:

- Podemos dizer que o bando era um dos principais em relação ao narcotráfico que agia no país.

Segundo a PF, faziam parte do bando bolivianos, colombianos, brasileiros, paraguaios, africanos e europeus. Eles traziam cocaína da Bolívia por via aérea e terrestre e maconha do Paraguai. Do Brasil, a cocaína era enviada para a Europa e África via mulas ou de navio. Parte da droga, no entanto, era distribuída no país, a exemplo de toda a maconha paraguaia.

Dos 54 mandados de prisão expedidos pela 4ª Vara Criminal Federal de São Paulo, 36 foram cumpridos. Sete dos acusados são considerados foragidos e 11 foram encaminhados para a Interpol, para integrar a difusão vermelha, por se tratar de traficantes que estão fora do país.