COMPROMETIMENTO DOS PODERES

As políticas de combate às drogas devem ser focadas em três objetivos específicos: preventivo (educação e comportamento); de tratamento e assistência das dependências (saúde pública) e de contenção (policial e judicial). Para aplicar estas políticas, defendemos campanhas educativas, políticas de prevenção, criação de Centros de Tratamento e Assistência da Dependência Química, e a integração dos aparatos de contenção e judiciais. A instalação de Conselhos Municipais de Entorpecentes estruturados em três comissões independentes (prevenção, tratamento e contenção) pode facilitar as unidades federativas na aplicação de políticas defensivas e de contenção ao consumo de tráfico de drogas.

terça-feira, 18 de outubro de 2011

OPERAÇÃO CONTRA O TRÁFICO LEVA 29 À PRISÃO

FREIO NO TRÁFICO. Polícia acredita ter desarticulado um dos principais pontos de venda de drogas de Porto Alegre, na Vila Maria da Conceição - EDUARDO TORRES, ZERO HORA 18/10/2011

O Departamento Estadual de Investigações do Narcotráfico (Denarc) avalia ter desarticulado um dos principais pontos de tráfico de Porto Alegre ao final de uma ação na manhã de ontem. – Acabamos com o tráfico na Rua Paulino Azurenha. Pelo menos por enquanto – disse o delegado Rodrigo Zucco, em uma referência às bocas de fumo mais conhecidas da Capital, na Vila Maria da Conceição, Zona Leste.

Estava na Rua Paulino Azurenha – o acesso da vila à Avenida Bento Gonçalves – o alvo da Operação Crepúsculo. Ao longo de mais de dois meses, 29 pessoas foram presas por envolvimento com o tráfico. Assim como aconteceu em setembro, na primeira investida da ação, ontem pela manhã os agentes do Denarc e os PMs do 19º BPM atuaram em conjunto para cumprir os seis últimos mandados da operação. Cinco homens foram presos e, durante o final de semana, três quilos de maconha e outros três de cocaína foram apreendidos em pelo menos cinco pontos de venda.

– Eram traficantes que estavam substituindo os que foram presos na ofensiva que fizemos em setembro, todos funcionários do tráfico comandado de dentro da cadeia. Agora, acredito que o golpe foi forte – aponta o delegado.

No total, foram apreendidos 27 quilos de maconha, três quilos de cocaína e 1,6 mil pedras de crack, além de dois revólveres calibre 38 e uma pistola 6.35. Tudo pertenceria a Paulo Ricardo Santos da Silva, o Paulão da Conceição. Mesmo preso na Penitenciária de Alta Segurança de Charqueadas (Pasc), em Charqueadas, ele ainda é considerado pela polícia o maior traficante de maconha do Estado.

A maior parte das apreensões e prisões ocorreu na tarde de 23 de setembro, quando, em uma estratégia inusitada, os policiais chegaram à vila escondidos no baú de um caminhão de mudanças. Naquela ocasião, 12 pessoas foram presas em flagrante em um dos becos onde a maconha seria entregue.

Investigação do MP revela “guerra” para dominar áreas

O alvo da operação foi o território que supostamente seria controlado por Carlos Alberto Silveira Drey, o Beto Drey, 28 anos, filho de criação de Paulão. Preso pela última vez em maio deste ano, ele é, atualmente, colega de presídio do pai, em Charqueadas.

Uma investigação do Ministério Público revelou neste ano uma verdadeira guerra entre Beto Drey e uma das irmãs para dominar as áreas sob influência do pai. Paulão seria o principal fornecedor de maconha na Vila Maria Conceição, Restinga, Lomba do Pinheiro e em algumas regiões de Viamão.

Na partilha sangrenta entre os irmãos, Beto Drey teria conseguido o domínio sobre as bocas da Paulino Azurenha, as mais lucrativas da quadrilha.

Brigada garante vigilância reforçada

De acordo com o major Alexandre da Rosa, que comandou a ação pelo 19º Batalhão de Polícia Militar (BPM), as patrulhas na região serão reforçadas.

– Vamos seguir com as abordagens diárias e prisões – garante e avisa que o alvo não está apenas nos possíveis traficantes locais.

Lembrando que as bocas de fumo da Rua Paulino Azurenha têm a facilidade do acesso asfaltado, ele afirma que o cerco também apertará contra os usuários.

– Carros, táxis ou motos parados, em situação suspeita nessa área, sem dúvida, serão abordados. Quando apertamos o usuário, estamos evitando o crescimento do traficante – avalia o major.

Desde o começo do ano, o batalhão responsável pela zona leste de Porto Alegre já teria detido 2,6 mil pessoas.

Conforme o oficial, em 90% dos casos eram envolvidos com o tráfico de drogas.