COMPROMETIMENTO DOS PODERES

As políticas de combate às drogas devem ser focadas em três objetivos específicos: preventivo (educação e comportamento); de tratamento e assistência das dependências (saúde pública) e de contenção (policial e judicial). Para aplicar estas políticas, defendemos campanhas educativas, políticas de prevenção, criação de Centros de Tratamento e Assistência da Dependência Química, e a integração dos aparatos de contenção e judiciais. A instalação de Conselhos Municipais de Entorpecentes estruturados em três comissões independentes (prevenção, tratamento e contenção) pode facilitar as unidades federativas na aplicação de políticas defensivas e de contenção ao consumo de tráfico de drogas.

sábado, 9 de junho de 2012

OPINIÃO: DESCRIMINALIZAÇÃO DO PORTE DE DROGAS


ZERO HORA, 09/06/2012 

OPINIÃO DO LEITOR

Como você avalia a descriminalização do porte de drogas?


Assuntos relevantes como a descriminalização das drogas ou sua liberação deveriam ser decididos por plebiscito ou no mínimo referendados. Roque Carlos Ritter, Aposentado – Ivoti
Se for para reconhecer a extensão ao porte de pequenas quantidades destinadas a uso próprio, do critério considerado para o consumidor, que já não é punido como criminoso, poderá ser um meio de concentrar mais esforços na repressão ao traficante. José Silveira, Jornalista – Brasília

Fazem campanhas para largar o cigarro, enquanto tentam amenizar as leis para o uso de drogas. Só está faltando a bolsa-droga e traficante ser reconhecido como profissão e ter todos os benefícios do governo. Norberto Kley De Carli, Aposentado – Canoas
- Sou a favor por três motivos: vamos saber e tratar as pessoas dependentes às claras; minimiza o tráfico; se o cigarro é que mais mata as pessoas, por que só as outras drogas é que são proibidas? Regina Freitas Barreto, Porto Alegre
- A turma do crack deve estar vibrando. Djalma Beyer, Advogado – Porto Alegre
- A descriminalização das drogas no Brasil, onde raramente se cumprem as leis, a fiscalização é caótica, e a impunidade reina, será entregar o céu à tirania do demônio. Odilon Sater de Melo, Aposentado – Porto Alegre
- Se soltarem as “rédeas”, estaremos literalmente perdidos. Virgílio Melhado Passoni, Aposentado – Jandaia do Sul (PR)
- Os produtores de coca da Bolívia e os traficantes das Farc agradecem. Marco Provim, Agrônomo – Vera Cruz
- Um incentivo ao aumento da delinquência e à explosão de lesados pelas drogas. Paulo Bandarra, Médico – Porto Alegre
- Os traficantes de maconha, cocaína e crack andarão lado a lado, cada um com sua respectiva droga para “consumo” e a polícia nada poderá fazer. Hildo Aguiar, Funcionário público – Viamão
-  Nosso país estará fadado a se tornar um antro de prostituição e vadiagem. Valdecir Corteze, Aposentado – Passo Fundo