COMPROMETIMENTO DOS PODERES

As políticas de combate às drogas devem ser focadas em três objetivos específicos: preventivo (educação e comportamento); de tratamento e assistência das dependências (saúde pública) e de contenção (policial e judicial). Para aplicar estas políticas, defendemos campanhas educativas, políticas de prevenção, criação de Centros de Tratamento e Assistência da Dependência Química, e a integração dos aparatos de contenção e judiciais. A instalação de Conselhos Municipais de Entorpecentes estruturados em três comissões independentes (prevenção, tratamento e contenção) pode facilitar as unidades federativas na aplicação de políticas defensivas e de contenção ao consumo de tráfico de drogas.

quarta-feira, 15 de fevereiro de 2012

METAS PARA PLANO DE COMBATE AO CRACK

Reunião vai estabelecer metas para plano de combate ao crack. Secretário estadual disse que vão haver ações de "curto, médio e longo prazo" - ZERO HORA ONLINE, 14/02/2012 | 23h43.

O secretário estadual da Justiça e dos Direitos Humanos, Fabiano Pereira, definiu nesta terça-feira como inédita a "união de forças" entre o Estado, a União e a prefeitura de Porto Alegre após reunião em que técnicos do governo gaúcho apresentaram a representantes do governo federal um plano de expansão das ações de combate ao crack.

Ficou definido que será marcada nesta quarta-feira uma reunião, para a semana que vem, entre representantes do governo do Estado e da prefeitura de Porto Alegre para a definição de um cronograma a ser estabelecido para a realização de metas.

— Houve uma articulação entre governo do Estado, União e município, uma novidade muito interessante. Foram pactuadas várias metas, o que cada um tem de fazer, e um cronograma que será trabalhado na semana que vem — disse Fabiano, acrescentando que haverá ações de "curto, médio e longo prazo".

O objetivo das autoridades é que o cronograma comece por Porto Alegre e depois atinja o Interior, chegando a 90% do Estado.

O cronograma estará estabelecido até a primeira quinzena de março, quando será formalizada a adesão do Rio Grande do Sul no programa Crack, é Possível Vencer.

Depois de Porto Alegre, o governo vai se debruçar sobre os polos regionais: Alegrete, Bagé, Caxias do Sul, Passo Fundo, Pelotas, Rio Grande, Santa Maria e Uruguaiana.
O plano Crack, é Possível Vencer tem três eixos: cuidados (ações prevendo reintegração social), autoridade (medidas executadas por órgãos policiais) e prevenção (iniciativas para impedir o alastramento do vício).



Debatidas ações de combate ao crack. Autoridades debatem estratégias na Capital - CORREIO DO POVO IMPRESSO, 15/02//2012

Entre os dez estados que receberão apoio da União no combate ao crack está o Rio Grande do sul. Ontem à tarde, ocorreu a primeira reunião de trabalho de enfrentamento integrado da droga, na Capital. Com a presença da ministra do Desenvolvimento Social e Combate à Fome, Tereza Campello, foram apresentadas as iniciativas do município e do Estado para enfrentar a droga.

Após a reunião, que durou cerca de 2 horas, Tereza disse que foi feita uma reunião de trabalho importante, servindo de referência no combate às drogas. "Vamos trabalhar juntos", afirmou a ministra. "O Rio Grande do Sul está de parabéns, pois queremos ter metas claras e estas começaram a ser organizadas", disse Tereza.

Em dois dias, salientou a ministra, foi feito um trabalho bem-sucedido quanto a um acordo. Este programa terá a função de acolhimento. "Teremos ações fortes de combate à criminalidade, mas também de apoio aos usuários e familiares." Haverá um curso de capacitação, pela Senasp, onde serão formados 330 instrutores para o Proerd, com início em março. Polícia Civil e Susepe também terão seus cursos de capacitação.