COMPROMETIMENTO DOS PODERES

As políticas de combate às drogas devem ser focadas em três objetivos específicos: preventivo (educação e comportamento); de tratamento e assistência das dependências (saúde pública) e de contenção (policial e judicial). Para aplicar estas políticas, defendemos campanhas educativas, políticas de prevenção, criação de Centros de Tratamento e Assistência da Dependência Química, e a integração dos aparatos de contenção e judiciais. A instalação de Conselhos Municipais de Entorpecentes estruturados em três comissões independentes (prevenção, tratamento e contenção) pode facilitar as unidades federativas na aplicação de políticas defensivas e de contenção ao consumo de tráfico de drogas.

quarta-feira, 27 de abril de 2011

OBSERVATÓRIO DO CRACK

Observatório do Crack entra em ação. Site funcionará como banco de dados público para difundir experiências - ZERO HORA 27/04/2011

Os municípios têm, a partir de hoje, um espaço para trocar informações e boas práticas de enfrentamento ao crack. Lançado pela Confederação Nacional de Municípios (CNM), o Observatório do Crack – uma iniciativa inédita no país – servirá como banco de dados, alimentado pela sociedade e por órgãos públicos e privados.

O ponto de partida para o lançamento do observatório foi a pesquisa sobre a situação da droga nos municípios brasileiros, realizada em novembro de 2010, que constatou o alcance nacional do problema, disseminado em todas as regiões.

A investigação aferiu o consumo ou a circulação do crack em 98% das cidades do país.

O Observatório do Crack busca acompanhar a evolução nos municípios, as ações desenvolvidas, os investimentos realizados e os resultados alcançados pelos gestores.

Observatório do Crack pode ser acessado pelo site: http://www.cnm.org.br/crack/