COMPROMETIMENTO DOS PODERES

As políticas de combate às drogas devem ser focadas em três objetivos específicos: preventivo (educação e comportamento); de tratamento e assistência das dependências (saúde pública) e de contenção (policial e judicial). Para aplicar estas políticas, defendemos campanhas educativas, políticas de prevenção, criação de Centros de Tratamento e Assistência da Dependência Química, e a integração dos aparatos de contenção e judiciais. A instalação de Conselhos Municipais de Entorpecentes estruturados em três comissões independentes (prevenção, tratamento e contenção) pode facilitar as unidades federativas na aplicação de políticas defensivas e de contenção ao consumo de tráfico de drogas.

segunda-feira, 23 de maio de 2011

APREENSÃO DE 2,7 TONELADAS NO RS


Apreensão da PF chega a 2,7 toneladas. Já são 5,3 toneladas de maconha retiradas de circulação este ano no Estado -GUILHERME MAZUI, ZERO HORA 23/05/2011

Em três grandes apreensões realizadas neste ano, as polícias gaúchas tiraram de circulação mais de 5,3 toneladas de maconha no Rio Grande do Sul. Na manhã de sábado, a Polícia Federal apreendeu 2,7 toneladas da droga em um sítio em Viamão, na Região Metropolitana.

A operação, que resultou na prisão em flagrante de três homens, dois gaúchos e um sul-mato-grossense, seria a terceira maior apreensão do entorpecente nos últimos anos – o recorde é de 3,9 toneladas, em 1997.

A primeira grande operação de 2011 foi realizada em fevereiro, quando a Polícia Civil de Alvorada encontrou 1.151 quilos da erva, prensada e embalada, numa chácara na Vila Aparecida. Neste mês, agentes do Departamento Estadual de Investigações Criminais (Deic) já haviam localizado 1,5 tonelada em Carlos Barbosa, na Serra.

Com a mega-apreensão de sábado, as três operações das polícias totalizam mais de 5 toneladas recolhidas, o equivalente ao dobro da erva apreendida em 2010. Os grandes volumes e o curto intervalo entre as operações estariam ligados ao período de produção do entorpecente, no Paraguai.

– Normalmente os traficantes transportam menores quantidades, até cem quilos. No entanto, nesta época do ano se produz maconha, então há condições de transportar mais – explica o delegado Ildo Gasparetto, superintendente da Polícia Federal no Estado.

A droga apreendida em Viamão tem origem paraguaia. Entrou no Brasil pelo Mato Grosso do Sul e foi transportada em um caminhão. Dividida em tabletes, estava acondicionada em sacos usados, com escritos em espanhol, no galpão de um sítio de Águas Claras, no interior de Viamão, de onde seria distribuída provavelmente para a Região Metropolitana.

A PF chegou ao local após uma dica que a levou a identificar o Clio dos traficantes. Segundo a polícia, os proprietários do sítio não teriam relação com a quadrilha – inclusive não moravam na área. Os traficantes tiveram acesso ao local graças ao parentesco com o caseiro, que foi ouvido e liberado.

– O inquérito continua. Vamos ouvir outros envolvidos buscando identificar o caminhão – revela o delegado Fabrício Argenta, da Delegacia de Repressão a Entorpecentes (DRE) da PF, que comandou a operação.

Para o delegado, as apreensões indicam que, apesar do crescimento do uso da cocaína e do crack, a maconha continua tendo saída no mercado.

– A maconha sempre teve público. Se vem em grandes quantidades, é sinal de que há quem compre.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Postar um comentário