COMPROMETIMENTO DOS PODERES

As políticas de combate às drogas devem ser focadas em três objetivos específicos: preventivo (educação e comportamento); de tratamento e assistência das dependências (saúde pública) e de contenção (policial e judicial). Para aplicar estas políticas, defendemos campanhas educativas, políticas de prevenção, criação de Centros de Tratamento e Assistência da Dependência Química, e a integração dos aparatos de contenção e judiciais. A instalação de Conselhos Municipais de Entorpecentes estruturados em três comissões independentes (prevenção, tratamento e contenção) pode facilitar as unidades federativas na aplicação de políticas defensivas e de contenção ao consumo de tráfico de drogas.

segunda-feira, 16 de janeiro de 2012

INGERÊNCIA POLÍTICA - GOVERNADOR E PREFEITO SELARAM USO OSTENSIVO DA PM NA CRACOLÂNDIA


Reunião selou uso ostensivo da PM na cracolândia de SP - folha.com. 16/01/2012 - 05h29

O prefeito Gilberto Kassab (PSD) e o governador Geraldo Alckmin (PSDB) decidiram em 1º de dezembro pelo uso ostensivo da Polícia Militar na cracolândia, no centro de São Paulo. A informação é de reportagem de Catia Seabra e Rogério Pagnan publicada na edição de hoje da Folha (a íntegra está disponível para assinantes do jornal e do UOL, empresa controlada pelo Grupo Folha, que edita a Folha).

Até então, havia grupos que defendiam prioridade à ação social e de saúde pública. E os que defendiam a ação policial mais intensa. O combate ao tráfico foi posto à frente, pois, para o secretário municipal Januário Montone (Saúde), sem repressão da PM, todos seguiriam "enxugando gelo".

A vinda de Dilma a SP para exibir plano antidrogas e uma reunião da cúpula da segurança perto do Réveillon aceleraram a ação.

OPERAÇÃO

A Polícia Militar realiza desde o dia 3 uma operação na região da cracolândia para combater o tráfico de drogas e evitar aglomerações de dependentes na região. A operação deve persistir na região por tempo indeterminado.

O secretário da Segurança Pública de São Paulo, Antônio Ferreira Pinto, afirmou na semana passada que traficantes pequenos já foram presos e o Denarc (Departamento de Investigações sobre Narcóticos) está trabalhando para mapear o caminho da droga que chega a região.

A maior apreensão feita pela polícia até o momento ocorreu na noite de quinta-feira (12), quando uma mulher foi detido com 16 mil pedras de crack que seriam distribuídas na região.

Já em relação aos dependentes, a polícia faz rondas pela região para evitar as aglomerações. Reportagem da Folha flagrou inclusive o uso de balas de borracha e bombas de efeito moral contra os usuários. O secretário afirmou que após a reportagem, os policiais foram proibidos de portar os equipamentos.


Fotógrafos são assaltados ao fazer ensaio na cracolândia - 15/01/2012 - 23h26

Um grupo de usuários de crack agrediu na noite deste domingo três repórteres-fotográficos, incluindo um repórter da Folha, que faziam uma reportagem na região da cracolândia.

Eduardo Anizelli, Daniel Kfouri e Maurício Lima faziam um ensaio fotográfico quando foram cercados por cerca de sete pessoas na rua dos Gusmões, próximo à rua Conselheiro Nébias, por volta das 19h.

Os repórteres foram ameaçados com facas e agredido com chutes e socos. Dois deles tiveram o equipamento de trabalho (câmera e lentes) e celulares levados pelos usuários.

O grupo só se dispersou depois que um morador da região, que chegava de carro no local, começou a buzinar.

Procurados pelos repórteres, policiais que estavam em duas viaturas paradas na região da avenida Duque de Caxias disseram inicialmente que não poderiam sair do local.

Tempo depois, eles aceitaram acompanhar a reportagem na tentativa de recuperar os equipamentos, mas o grupo já havia dispersado.

A PM realiza uma megaoperação na cracolândia desde o dia 3, com efetivo de mais de uma centena de policiais. De acordo com o último balanço, divulgado às 17h, 107 pessoas já foram presas, 43 foragidos foram recapturados e 2,3 kg de crack foram apreendidos.