COMPROMETIMENTO DOS PODERES

As políticas de combate às drogas devem ser focadas em três objetivos específicos: preventivo (educação e comportamento); de tratamento e assistência das dependências (saúde pública) e de contenção (policial e judicial). Para aplicar estas políticas, defendemos campanhas educativas, políticas de prevenção, criação de Centros de Tratamento e Assistência da Dependência Química, e a integração dos aparatos de contenção e judiciais. A instalação de Conselhos Municipais de Entorpecentes estruturados em três comissões independentes (prevenção, tratamento e contenção) pode facilitar as unidades federativas na aplicação de políticas defensivas e de contenção ao consumo de tráfico de drogas.

terça-feira, 16 de agosto de 2011

NEGOCIA A CASA PARA FUGIR DE TRAFICANTES

REFÉM DA DROGA. Jovem negocia casa para fugir de traficantes - LETÍCIA BARBIERI, zero hora 16/08/2011

A Delegacia da Polícia Civil de São Sebastião do Caí foi invadida na manhã de ontem por um jovem de 20 anos pedindo socorro. Segundo o rapaz, foi uma alternativa desesperada para se livrar de traficantes, que caminhavam com ele rumo a um cartório em que ele passaria aos criminosos um imóvel em troca da sua liberdade.

– Foi tudo muito rápido, nós estávamos entrando da DP e ele trombou comigo. Pedia por socorro – conta a escrivã Simone Ribeiro.

O martírio do rapaz teria começado na quinta-feira quando, viciado em crack, ele teve uma recaída e buscou uma boca de fumo. Sem dinheiro, o jovem de 20 anos ofereceu um celular aos traficantes, em troca de droga. Diante da negativa, ele colocou em negociação a casa da família, na Vila São Martim, por R$ 10 mil.

A oferta interessou ao traficante, que manteve o rapaz trancado na boca de fumo desde a noite de quinta-feira até ontem de manhã, quando o conduzia até o cartório para a transferência do imóvel. Ao criminoso, o rapaz disse que a casa estava em seu nome. Estaria, entretanto, no nome do seu pai, já falecido.

Rapaz correu na direção dos policiais, pedindo socorro

No caminho do cartório, porém, estava a delegacia. Em um momento de distração do traficante, o jovem conseguiu correr em busca dos policiais e gritar por socorro. A agilidade dos agentes garantiu a prisão da mulher, comparsa do traficante, que os acompanhava. Com Claudia Darliani Pons Meirelles, 21 anos, foi encontrado um revólver calibre 38. Acabou presa em flagrante por cárcere privado, porte ilegal de arma e receptação (a arma estava em ocorrência de furto desde 1998). A mulher foi encaminhada à Penitenciária Modulada de Montenegro.

– Ela nega o cárcere, diz que era uma negociação e que eles teriam pago R$ 5 mil pelo terreno com a casa, mas não existe o dinheiro. O rapaz relata que queria sair e não conseguia, que estava sendo obrigado a ir ao cartório sob ameaça de uma arma – expõe a delegada Cleusa Spinato.

Até uma falsa testemunha o traficante havia arrumado para ir junto ao cartório. Lá, não se sabe como se desenrolaria a história. A casa de alvenaria, de quatro cômodos, estava desocupada.

– Acho que eles teriam dificuldades de concretizar uma coisa dessa forma, alguém do cartório desconfiaria – acredita a delegada.