COMPROMETIMENTO DOS PODERES

As políticas de combate às drogas devem ser focadas em três objetivos específicos: preventivo (educação e comportamento); de tratamento e assistência das dependências (saúde pública) e de contenção (policial e judicial). Para aplicar estas políticas, defendemos campanhas educativas, políticas de prevenção, criação de Centros de Tratamento e Assistência da Dependência Química, e a integração dos aparatos de contenção e judiciais. A instalação de Conselhos Municipais de Entorpecentes estruturados em três comissões independentes (prevenção, tratamento e contenção) pode facilitar as unidades federativas na aplicação de políticas defensivas e de contenção ao consumo de tráfico de drogas.

quarta-feira, 31 de agosto de 2011

OPERAÇÃO LIBERDADE PRENDE 251 SUSPEITOS, DROGAS, ARMAS E MUNIÇÕES

Operação Liberdade: 251 suspeitos presos em 30 cidades - BONDE NEWS, 31/08/2011

Policiais civis e militares prenderam 251 suspeitos, principalmente de tráfico, e apreenderam drogas, armas e munições em 30 cidades paranaenses, durante a Operação Liberdade, que começou no fim de semana e foi encerrada nesta quarta-feira (31). O balanço foi divulgado em Maringá pelo secretário de Estado da Segurança Pública, Reinaldo de Almeida César. "Esta ação será desenvolvida regularmente, no combate sem tréguas ao tráfico de drogas, para libertar a população do medo", afirmou.

A operação foi precedida de quatro meses de investigação, conduzidas por delegacias de Curitiba e 20 subdivisões policiais no interior. Nas ações, foram apreendidos 267 quilos de maconha e 30 quilos de crack, além de armas, munições e veículos. O delegado-geral da Polícia Civil, Marcus Vinícius Michelotto, disse que essa é uma forma de combater a violência de maneira integrada e eficaz, já que o comércio de drogas está por trás de outros crimes, como roubos e homicídios.

Segundo o delegado da Divisão Policial do Interior, Julio Cezar dos Reis, o objetivo de operações dessa modalidade, com o fechamento em datas coincidentes, é identificar fornecedores de drogas e armas que possam estar abastecendo vários grupos de distribuidores em diferentes regiões do Estado. "A troca de informações entre as subdivisões foi fundamental para que os policiais chegassem a um número tão significativo de prisões", disse.

DENARC – As informações colhidas durante a operação serão compiladas e colocadas à disposição da Divisão Estadual de Narcóticos (Denarc). O material servirá como base para investigações futuras, identificação e prisões de fornecedores da região de fronteira. Os trabalhos contaram com apoio efetivo da Denarc e colaboração da Polícia Militar nos cumprimentos de mandados de prisão.

Para o secretário, o resultado da operação reflete o trabalho exemplar das polícias Civil e Militar na Operação Liberdade e nas ações diárias em prol da segurança pública. "O mérito é todo dos policiais, que se desdobram para trabalhar contra o crime diariamente, mesmo com poucos recursos e infraestrutura", ressaltou.

A Operação Liberdade foi executada pela primeira vez em abril, para combater o tráfico no centro de Curitiba e, de acordo com Almeida César, a partir de agora será permanente, em todas as regiões do Paraná.

FRONTEIRA – As ações de segurança serão intensificadas na fronteira do Estado, especialmente nos 19 municípios que fazem divisa com outros países. O governador Beto Richa e o ministro da Defesa, Celso Amorim, estão avançando na parceria que vai integrar as Polícias Federal e Rodoviária Federal e Forças Armadas com as ações das polícias paranaenses. "Vamos formar um cinturão para prevenir que drogas, armas e contrabando entrem no Estado e comprometam a segurança da população", explicou Almeida Cesar.